ICSI

Os tratamentos FIV/ICSI oferecem altas possibilidades de gestação, tornando-se um dos tratamentos mais procurados.

O que é ICSI?

Esta é uma técnica realizada no tratamento de Fertilização in Vitro (FIV), que consiste em introduzir o espermatozoide dentro do óvulo através de uma punção com o auxílio de uma pipeta especializada para facilitar a fecundação.

Para isso, é necessário que o homem forneça uma amostra de sêmen ou que seja realizada uma biópsia testicular, se necessário, para selecionar os melhores espermatozoides. O objetivo dessa técnica é ajudar o espermatozoide que não consegue alcançar o óvulo por si só. Dessa forma, aumentam as chances de fecundação e, consequentemente, de gravidez. Geralmente é indicada quando os espermatozoides têm má morfologia ou mobilidade reduzida.

Quando é indicado?

  • Percebe-se baixo número de espermatozóides ou problemas de mobilidade.
  • Foi feita previamente uma vasectomia.
  • Dificuldade em obter uma ejaculação em condições normais, como ocorre na ejaculação retrógrada.
  • Casos de amostras criopreservadas de homens vasectomizados ou submetidos a tratamento de radioterapia ou quimioterapia. Essas amostras são valiosas porque têm quantidade limitada e a ICSI permite otimizar seu uso.
  • Quando múltiplas tentativas de FIV e IA não foram bem-sucedidas.
  • Quando o número de ovócitos obtidos após punção é muito baixo.
  • Em casos em que é realizado o Teste Genético Pré-implantacional (PGT) para selecionar embriões saudáveis sem doenças genéticas.
  • Percebe-se baixo número de espermatozóides ou problemas de mobilidade.
  • Foi feita previamente uma vasectomia.
  • Apresenta doença infecciosa ou infertilidade de causa imunológica.
  • Dificuldade em obter uma ejaculação em condições normais, como ocorre na ejaculação retrógrada.
  • Casos de amostras criopreservadas de homens vasectomizados ou submetidos a tratamento de radioterapia ou quimioterapia. Essas amostras são valiosas porque têm quantidade limitada e a ICSI permite otimizar seu uso.
  • Quando múltiplas tentativas de FIV e IA não foram bem-sucedidas.
  • Quando o número de ovócitos obtidos após punção é muito baixo.
  • Em casos em que é realizado o Teste Genético Pré-implantacional (PGT) para selecionar embriões saudáveis sem doenças genéticas.

Como é o procedimento?

No WeFIV, realizamos uma avaliação personalizada de cada paciente para determinar qual é o tratamento de reprodução assistida mais adequado. Se for indicada a FIV com ICSI, o procedimento começa com a estimulação ovariana, cujo objetivo é recuperar um bom número de óvulos para a realização da FIV (este procedimento). Este procedimento é realizado em todos os tratamentos de FIV, seja ou não necessária a técnica ICSI, e consiste na auto-administração de injeções diárias para estimular os ovários a produzirem uma maior quantidade de óvulos, em vez de apenas um único óvulo. Dessa forma, é possível obter um maior número de embriões para selecionar o melhor em termos de morfologia e desenvolvimento, visando alcançar a gravidez. Tem uma duração aproximada de 10 a 12 dias, dependendo de cada paciente, durante os quais é feito um monitoramento da paciente por meio de ultrassonografias para observar o crescimento dos folículos e determinar quando será feita a punção.

 

No momento em que os folículos atingem o crescimento adequado, é indicada a aplicação de outro hormônio (hCG) para que os óvulos amadureçam completamente, e após 36 horas é programada a punção folicular. A punção é um procedimento minimamente invasivo realizado em sala de cirurgia, sob sedação, e tem duração de aproximadamente 15 minutos.

 

Após a obtenção dos óvulos, os espermatozóides são introduzidos por meio de técnicas de micromanipulação. Para realizar esse procedimento, são utilizadas placas especiais que contêm um meio de cultivo denso no centro, de forma que o espermatozóide tenha dificuldade em “nadar”. Dessa forma, nossos especialistas selecionam os espermatozoides com melhor morfologia, para que nadem em linha reta. Na ICSI, são utilizadas duas pipetas muito finas: uma para segurar o óvulo e evitar que ele se mova, e outra em forma de agulha para introduzir o espermatozoide dentro do óvulo. Esse procedimento é realizado com muito cuidado e movimentos delicados e específicos. Esse mesmo processo é repetido para cada um dos óvulos obtidos.

 

Posteriormente, todos os óvulos que foram fecundados são mantidos em uma incubadora de última geração por um período de 2 a 6 dias, para que seu desenvolvimento e qualidade morfológica sejam observados, a fim de determinar o momento adequado para a transferência para o útero materno.

O cultivo embrionário em laboratório

Os embriões resultantes do procedimento são observados em laboratório e classificados de acordo com sua morfologia e capacidade de divisão. No WeFIV, utilizamos uma técnica de seleção embrionária não invasiva que permite observar os embriões em meios de cultivo com uma composição específica, de acordo com suas necessidades nutricionais durante o desenvolvimento até o estágio chamado blastocisto.

Estudos científicos têm demonstrado que as taxas de sucesso de gestação são melhores quando a transferência do embrião para o útero é realizada durante o estágio de blastocisto. É recomendável não apenas ter uma boa quantidade de embriões, mas também que eles sejam de boa qualidade morfológica e cinética, o que sugere que embriões de melhor qualidade têm maior probabilidade de alcançar o estágio de blastocisto.

Perguntas frequentes

A fertilização in vitro (FIV) é um tratamento altamente complexo no qual a fertilização é realizada em laboratório, fora do corpo da mulher, e depois o embrião é transferido para o útero da paciente receptora.

A FIV com ICSI (Injeção Intracitoplasmática de Espermatozoides) é uma técnica realizada no tratamento de Fertilização In Vitro, que consiste em introduzir o espermatozoide no óvulo por meio de uma punção e com uma pipeta especializada que ajuda a facilitar o processo de fertilização.

O procedimento de ICSI visa aumentar as chances de fertilização e, portanto, de gravidez. Essa técnica tem alta probabilidade de gestação e, por isso, é um dos tratamentos de reprodução assistida mais procurados.

A principal vantagem da técnica de ICSI é que ela ajuda os espermatozoides que não conseguem alcançar o óvulo sozinhos, aumentando assim as chances de fertilização. Além disso, é uma técnica que pode ser usada em casos de baixa qualidade do esperma, vasectomia prévia, doença infecciosa ou infertilidade causada pelo sistema imunológico, entre outros.

A estimulação ovariana é a primeira etapa do tratamento ICSI e tem como objetivo recuperar um bom número de óvulos para a FIV. Esse procedimento dura aproximadamente de 10 a 12 dias, dependendo de cada paciente. 

Na segunda etapa, é realizada a punção folicular e o esperma é introduzido nos óvulos. Em seguida, os óvulos fertilizados são mantidos em uma incubadora até normalmente 5 ou 6 dias para observar seu desenvolvimento e qualidade morfológica.

Não há um número fixo de tentativas de ICSI que podem ser feitas. Isso depende de vários fatores, incluindo a saúde da mulher, a qualidade do esperma e a resposta ao tratamento. A WeFIV realiza avaliações personalizadas para definir o tratamento de reprodução assistida mais adequado para cada paciente.

Após a transferência do embrião para o útero, é feito um acompanhamento para verificar se houve implantação. Se o teste de gravidez for positivo e a presença de um saco gestacional no útero for confirmada por ultrassom, a FIV com ICSI pode ser considerada bem-sucedida.

Pesquisar