Fecundação in vitro

No WeFIV, acompanhamos você em todas as fases do seu tratamento de reprodução assistida, com a mais recente tecnologia, para alcançar os melhores resultados possíveis.

O que é a Fecundação in Vitro (FIV)?

A Fecundação In Vitro (FIV) é um tratamento de alta complexidade que consiste em realizar o processo de fecundação fora do corpo da mulher, ou seja, em laboratório. Embora a união dos dois gametas (masculino e feminino) ocorra em um meio artificial, o processo em si é natural, uma vez que os espermatozóides são colocados ao redor do óvulo, que é penetrado por um deles de forma espontânea.

Como ocorre a fecundação?

Quando é realizada a Fecundação In Vitro, podem ocorrer casos em que o espermatozóide não consiga penetrar o óvulo por si só. Por esse motivo, procede-se à injeção de um único espermatozóide dentro do óvulo, por meio de um microscópio com micromanipulador. Essa técnica é conhecida como Injeção Espermática Intracitoplasmática (ICSI). Após a fecundação e o desenvolvimento dos embriões, um único embrião é transferido para a cavidade uterina para que continue seu desenvolvimento e consiga se implantar.

Quando está indicada a FIV?

  • Quando a mulher apresenta alterações nas trompas e na qualidade dos óvulos.
  • Quando o sêmen não é apto para a inseminação artificial.
  • Quando houve mais de quatro tentativas anteriores de inseminação artificial sem sucesso.
  • Quando a paciente preservou sua fertilidade e possui óvulos vitrificados.
  • Quando a mulher ultrapassa certa idade em que sabemos que as técnicas de baixa complexidade oferecem chances muito baixas de gravidez.

Quando recorrer ao banco de sêmen?

  • Quando houve falhas repetidas com o sêmen do parceiro masculino.
  • Quando o parceiro masculino tem azoospermia e não deseja ou não é possível realizar uma biópsia testicular para a recuperação de espermatozoides.
  • Quando o parceiro masculino é portador de uma doença genética.
  • Quando em tentativas anteriores o embrião não se desenvolveu corretamente.
  • No caso de mães solteiras ou casais de mulheres.
  • Quando a mulher apresenta alterações nas trompas e na qualidade dos óvulos.
  • Quando o sêmen não é apto para a inseminação artificial.
  • Quando houve mais de quatro tentativas anteriores de inseminação artificial sem sucesso.
  • Quando a paciente preservou sua fertilidade e possui óvulos vitrificados.
  • Quando a mulher ultrapassa certa idade em que sabemos que as técnicas de baixa complexidade oferecem chances muito baixas de gravidez.
  • Quando houve falhas repetidas com o sêmen do parceiro masculino.
  • Quando o parceiro masculino tem azoospermia e não deseja ou não é possível realizar uma biópsia testicular para a recuperação de espermatozoides.
  • Quando o parceiro masculino é portador de uma doença genética.
  • Quando em tentativas anteriores o embrião não se desenvolveu corretamente.
  • No caso de mães solteiras ou casais de mulheres.

Fecundação in Vitro (FIV) passo a passo

Antes de prosseguir com um tratamento específico de reprodução assistida, no WeFIV realizamos um estudo aprofundado de cada paciente para diagnosticar e indicar o tratamento adequado de acordo com cada situação específica. Muitas pacientes precisam conhecer as vantagens da fecundação in vitro, e nossa equipe de profissionais está disponível para informar e responder a todas as suas perguntas.

Depois de indicar a Fecundação In Vitro, a mulher deve realizar uma Histerossalpingografia para determinar a permeabilidade das trompas de Falópio e descartar alterações estruturais, como hidrossalpinge, que podem afetar os resultados da FIV (se não tiver realizado recentemente). Além disso, deve-se realizar um estudo hormonal para avaliar a reserva ovariana e condições endócrinas gerais, bem como uma ultrassonografia ginecológica para avaliar a anatomia do útero e dos ovários. Por outro lado, o homem deverá realizar um espermograma para determinar se o sêmen é adequado para o tratamento. Se não for adequado, pode ser necessário recorrer a uma biópsia testicular ou a um doador de esperma.

Estimulação ovariana

Seu objetivo é recuperar um bom número de óvulos para realizar a FIV. Consiste na auto administração de injeções diárias para estimular os ovários a produzirem uma maior quantidade de ovócitos, em vez de apenas um único óvulo. Dessa forma, após a fecundação, é possível obter um maior número de embriões para selecionar aquele que seja mais compatível com o desenvolvimento de uma futura gravidez. A duração aproximada é de 10 a 15 dias, dependendo de cada paciente. Durante esse período, a paciente é monitorada por meio de ultrassonografias para observar o crescimento dos folículos e determinar o momento da punção.

Dia da punção

Quando os folículos atingem o tamanho adequado, é aplicado um hormônio (hCG) para que os óvulos completem a maturação. E, 36 horas depois, é programada a punção folicular, que é uma intervenção realizada sob sedação, em sala de cirurgia, com duração de 15 minutos. Algumas recomendações pré-operatórias são:

  • Não consumir álcool nem fumar pelo menos 24 horas antes.
  • Ficar em jejum por 8 horas antes do procedimento.
  • Tomar banho e lavar o cabelo. Não usar maquiagem, esmalte de unhas, cremes corporais, óleos ou perfumes.
  • Vestir roupas confortáveis.
  • Comparecer acompanhada por uma pessoa responsável, que estará presente durante o pós-operatório e na saída da clínica.

Após a punção

Os óvulos são fertilizados em laboratório com os espermatozóides obtidos da amostra de sêmen. Como explicado anteriormente, esse procedimento pode ser realizado pela técnica de FIV tradicional ou por ICSI. Em WeFIV, temos incubadoras de última geração específicas para cultivar os embriões até o quinto dia de desenvolvimento. Os embriões são classificados para selecionar os melhores com base em sua capacidade de divisão e morfologia.

Transferência embrionária

A transferência embrionária é quando o melhor embrião é introduzido no útero materno com uma cânula ou cateter específico. É um procedimento indolor, rápido e não é necessário aplicar anestesia. É recomendado beber água antes do procedimento para ter a bexiga cheia, a menos que haja instruções contrárias do médico responsável.

Além disso, tanto a paciente quanto o acompanhante são solicitados a evitar o uso de perfumes, maquiagem ou substâncias com aroma intenso, pois podem contaminar o ar do laboratório. A paciente também deve evitar situações que aumentem sua temperatura corporal ou a desidratem. Além disso, não deve consumir bebidas alcoólicas ou medicamentos sem prescrição médica.

É importante mencionar que os embriões que não foram utilizados no procedimento e que são de boa qualidade são vitrificados para uso em um ciclo posterior, a fim de evitar a necessidade de repetir a estimulação ovariana.

Perguntas Frecuentes

A fertilização in vitro (FIV) é um procedimento altamente complexo e, como tal, nem sempre é bem-sucedida na primeira tentativa. O sucesso da FIV depende de vários fatores, incluindo a idade da mulher, a qualidade dos óvulos e do esperma e a saúde geral dos pais. 

Na WeFIV, usamos tecnologia de ponta e acompanhamos as pacientes em todas as fases do tratamento para maximizar as chances de gravidez.

A FIV é um procedimento seguro, usado há décadas para ajudar casais a engravidar. Na WeFIV, realizamos uma análise minuciosa de cada paciente para determinar se esse é o tratamento certo para seu caso específico.

Entretanto, como em qualquer procedimento médico, há certos riscos e possíveis efeitos colaterais, que são discutidos com os pacientes antes do início do tratamento.

Depois que a fertilização ocorre e os embriões se desenvolvem, um único embrião é transferido para a cavidade uterina. Ele deve se implantar no revestimento do útero para continuar seu desenvolvimento, um processo que pode levar de alguns dias a uma semana após a transferência do embrião.

Na FIV, geralmente um único embrião é transferido para a cavidade uterina após a FIV. Isso é feito para minimizar os riscos associados a gestações múltiplas. Os embriões de boa qualidade restantes que não são usados no procedimento são vitrificados para que possam ser usados em um ciclo subsequente, se necessário.

O objetivo da estimulação ovariana na FIV é obter um bom número de óvulos. Isso é alcançado com a administração de medicamentos que fazem com que os ovários produzam mais folículos, cada um dos quais pode conter um óvulo. 

O número exato de folículos necessários pode variar, mas, em geral, buscamos cerca de 10 a 15 folículos para maximizar as chances de sucesso.

A escolha entre inseminação artificial e fertilização in vitro depende das circunstâncias individuais de cada paciente. A FIV pode ser indicada quando a mulher apresenta alterações nas trompas de falópio e na qualidade dos oócitos, quando o esperma não é adequado para a inseminação artificial ou quando houve várias tentativas malsucedidas de inseminação artificial. Na WeFIV, realizamos uma avaliação exaustiva para determinar o tratamento mais adequado para cada paciente.

  • Em mulheres com insuficiência ovariana devido à menopausa, insuficiência ovariana precoce ou cirurgia ovariana.
  • Em mulheres que não podem usar seus próprios oócitos, devido à baixa qualidade ou a doenças hereditárias que não podem ser detectadas pelas técnicas de PGT.
  • Em mulheres com falhas repetidas na FIV ou ICSI devido à baixa resposta ou à baixa qualidade dos oócitos.
  • Em mulheres com ovários inacessíveis para recuperação de oócitos. Essa indicação é muito rara
Pesquisar