Banco de Sêmen

O Banco de Sêmen é um recurso fundamental na área de reprodução assistida, uma vez que 30% dos problemas de fertilidade são devido a causas masculinas.

O que é um Banco de Sêmen?

A doação de sêmen é anônima, voluntária e altruísta, e consiste em um homem jovem com boa qualidade de sêmen doar sua amostra para um banco, para que pacientes que necessitem de tratamentos de reprodução assistida possam utilizá-la.

Muitos pacientes também buscam a criopreservação de sêmen, que consiste em congelar o sêmen para preservar a fertilidade do homem, similar à técnica de vitrificação de óvulos realizada pelas mulheres. A criopreservação de esperma permite que a amostra do doador seja armazenada no banco para uso posterior em técnicas de reprodução assistida. Essa técnica de preservação não afeta a qualidade da amostra nem tem limite de tempo de conservação.

Como funciona?

É possível recorrer ao Banco de Sêmen sem a necessidade de preparação médica adicional, em qualquer tratamento de reprodução, caso não se tenha um parceiro ou em situações de fator masculino grave:

Quem deve recorrer a um banco de sêmen?

  • Homens com fator masculino grave, como azoospermia (ausência de espermatozoides no sêmen).
  • Homens com doença genética de herança dominante sem possibilidade de diagnóstico genético pré-implantacional.
  • Homens portadores de doença genética que não pode ser estudada nos embriões.
  • Homens sorodiscordante.
  • Quando houve falhas repetidas de fecundação com o sêmen do parceiro.
  • Quando se obteve má qualidade embrionária ou falha de implantação em ciclos anteriores e há suspeita de um fator masculino como causa principal.
  • Mulheres solteiras ou sem parceiro masculino

Documentos e análises

Para recorrer a um banco de sêmen, é necessário que o casal solicitante apresente a seguinte documentação:
  • Histórico médico e ginecológico prévio.
  • Relatório de tratamentos de reprodução assistida realizados em outros centros, se houver.
  • Sorologias atualizadas para hepatite B, hepatite C, sífilis e HIV.
  • Grupos sanguíneos e fator Rh.
  • Preenchimento e assinatura do formulário de solicitação e do consentimento informado correspondente ao tratamento de reprodução assistida com sêmen de doador.

Como funciona?

É possível recorrer ao Banco de Sêmen sem a necessidade de preparação médica adicional, em qualquer tratamento de reprodução, caso não se tenha um parceiro ou em situações de fator masculino grave:

  • Inseminação Artificial.
  • Fecundação In Vitro.
  • Doação de Óvulos.
  • Método ROPA (Recepção de ovócitos da parceira).
  • Homens com fator masculino grave, como azoospermia (ausência de espermatozoides no sêmen).
  • Homens com doença genética de herança dominante sem possibilidade de diagnóstico genético pré-implantacional.
  • Homens portadores de doença genética que não pode ser estudada nos embriões.
  • Homens sorodiscordante.
  • Quando houve falhas repetidas de fecundação com o sêmen do parceiro.
  • Quando se obteve má qualidade embrionária ou falha de implantação em ciclos anteriores e há suspeita de um fator masculino como causa principal.
  • Mulheres solteiras ou sem parceiro masculino
Para recorrer a um banco de sêmen, é necessário que o casal solicitante apresente a seguinte documentação:
  • Histórico médico e ginecológico prévio.
  • Relatório de tratamentos de reprodução assistida realizados em outros centros, se houver.
  • Sorologias atualizadas para hepatite B, hepatite C, sífilis e HIV.
  • Grupos sanguíneos e fator Rh.
  • Preenchimento e assinatura do formulário de solicitação e do consentimento informado correspondente ao tratamento de reprodução assistida com sêmen de doador.

Quais estudos são realizados no doador?

Conforme estabelecido pela Lei de Acesso Integral a Procedimentos e Técnicas de Reprodução Assistida, os gametas devem ser obtidos exclusivamente de bancos de gametas registrados no Registro Federal de Estabelecimentos de Saúde (ReFES) da Direção Nacional de Regulação Sanitária e Qualidade em Serviços de Saúde, vinculada ao Ministério da Saúde.

As amostras de esperma utilizadas pelo WeFIV provêm de homens com idades entre 18 e 40 anos, em boa saúde física geral e reprodutiva:

  • Passam por uma avaliação psicológica.
  • É avaliado o registro do grupo e fator sanguíneo.
  • É realizado uma análise de doenças genéticas e infecções transmissíveis com amostras de sêmen, sangue e urina.
  • É feito um acompanhamento de 6 meses a 1 ano para garantir a saúde da amostra.

Todas as medidas mencionadas anteriormente são tomadas com o objetivo de garantir às nossas pacientes uma amostra de qualidade, obtida com profissionalismo e todos os cuidados necessários. Cada um dos nossos tratamentos é personalizado, adaptado às necessidades de cada paciente, inclusive com detalhes sobre características físicas do doador, para que sejam compatíveis com o casal que solicita a amostra.

 

Preguntas Frecuentes

O esperma pode permanecer em um banco de esperma indefinidamente, graças a um processo chamado criopreservação. Esse método consiste em congelar o esperma para preservar a fertilidade do homem, semelhante à técnica de vitrificação de oócitos que as mulheres usam. Esse processo de preservação não afeta a qualidade da amostra e não tem prazo de validade.

Sim, é possível escolher o doador de esperma, mas há algumas restrições. Os doadores de esperma devem ser homens jovens em bom estado geral de saúde física e reprodutiva, submetidos a uma série de estudos e análises para garantir a qualidade da amostra. A WeFIV também leva em conta as características físicas do doador para garantir que ele seja compatível com o casal que solicita a amostra. No entanto, é preciso esclarecer que a doação de esperma é anônima, portanto, a identidade do doador não pode ser conhecida.

Pesquisar